DEPUTADOS APROVAM PROGRAMA DE GOVERNO DE NUNO NABIAM

O programa do governo de Nuno Gomes Nabiam foi aprovado, ontem (29 de Junho), pela maioria dos deputados da Nação. Este é o segundo governo desta décima legislatura

A votação teve a presença dos 5 deputados do grupo parlamentar do Partido Africano para Independência da Guiné e Caboverde (PAIGC), e Assembleia do Povo Unido Partido Democrático da Guiné-Bissau (APU-PDGB) e Partido da Nova Democracia (PND) respectivamente representados por um deputado cada.

Os deputados do PAIGC são: Leopoldo da Silva (Circulo Eleitoral África), Luís Leopoldo (Nené Cá) - Circulo Eleitoral 25 Bissau, Saliu Embalo-Gabu/Sonaco, Mamadu Baldé (Quinara/Buba e Fulacunda) e Braima Djaló (Oio/Farim CE 6); Saído Embalo do PND (Gabu/Pirada Boé) e Armando Incada do APU-PDGB (Oio/Bissorã)

No total são cinquenta e seis (56) no universo de cento e dois (102) deputados que compõem o hemiciclo guineense que reuniram, ontem, na quarta seção ordenaria da plenária. Cinquenta e cinco votaram ao favor do programa do segundo governo da Xª legislatura e um contra [líder do parlamento Cipriano Cassama].

A sessão de ontem decorreu sem a maioria dos deputados do grupo parlamentar do PAIGC. Após a aprovação do programa do governo, Nuno Gomes Nabiam, no discurso emocional disse que irá trabalhar para dignificar o país. Nabiam promete luta sem trégua a corrupção.

“Quero aqui mais uma vez reafirmar um engajamento total da minha parte enquanto o primeiro-ministro da Guiné-Bissau e assim como do governo para que tudo seja feito para que de facto a Guiné-Bissau possam conhecer o caminho de um desenvolvimento sustentável. Vamos trabalhar para que na verdade dignificar a nossa terra, este país custou sangue e suor (…) hoje a Guiné-Bissau está na cauda do mundo (…) o Presidente da República nos pediu [governo] para uma luta cessante contra a corrupção e queremos garantir no parlamento que vamos fazer sem trégua, transparência no que unimos porque só assim que podemos levar para frente o país”, sustenta.      

Já o presidente do parlamento, Cipriano Cassamá, disse que a luta de Nuno Nabiam em ver o programa aprovado foi difícil. Cassamá assegurou que o povo guineense deve exigir do actual governo a reconciliação nacional.

O presidente do parlamento disse que a sua missão é com o povo guineense que há mais de 40 anos continua a sofrer.

“O programa foi votado na generalidade e vamos brevemente para especialidade e cada ministro tem que ser chamado aqui, porque o governo agora é legal, por isso, o momento não é de discurso, momento é de consciencializar o povo da Guiné-Bissau de que já tem um governo que tem que ser exigido para acabar com a fome no país, para que haja infra-estruturas e para ajudar também na reconciliação dos guineenses”, aponta o líder do hemiciclo antes de assegurar que “Guiné-Bissau está cansada e que existe desconfiança entre os guineenses, juventude sem emprego, a mulher a sacrificar para vender os seus produtos há 40 e tal ano”, aponta.

“Já chega”, enfatiza o líder do parlamento.

Entretanto, segundo as informações publicadas pelo jornal português “O público”, Líder do PAIGC, Domingos Simões Pereira, diz que quer continuar a chefiar o partido, mas põe o lugar à disposição dos dirigentes: “Se decidirem noutro sentido e promete saber respeitar a possível decisão”.

 

Por: Braima Sigá

Escreva à RSM

email Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias

© 2019 Radio Sol Mansi
Cookie Policy | Privacy Policy

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più