20
Feb
2017

Os participantes do primeiro Sínodo Diocesano de Bissau, que decorreu sob o lema “a Nova Evangelização”, manifestaram-se preocupados com a instabilidade institucional, do fenómeno de drogas, da impunidade e da gestão danosa dos recursos naturais económicos e financeiros do país

A preocupação consta na declaração final da primeira fase do sínodo que decorreu de 13 a 17 de Fevereiro corrente, na paróquia São João Batista de Bra.

Na declaração final os Sinodais, perante sinais visíveis que interpelam e perturbam todo o cidadão guineense independentemente da sua convicção religiosa, manifestaram as suas preocupações em relação a instabilidade política e institucional que vem arrastando há dois anos “com consequências negativas nas situações individuais e colectivas sobretudo dos mais carentes e vulneráveis”.

O fenómeno da droga, da degradação da moral pública, da violência, da irresponsabilidade e da impunidade e alegada gestão danosa dos escassos recursos económicos e financeiros sem que, até a presente data, seja apurada a realidade dos factos em face da situação da crise política e institucional que paulatinamente tende agrave-se, também são preocupações dos sinodais.

“Na linha do papel de vanguarda que caracteriza a Igreja de Jesus Cristo, no fiel cumprimento da sua missão no mundo, o sínodo diocesano alerta os cristãos católicos para a necessidade de persistência na oração, nomeadamente, pela paz e pela estabilidade política e social na Guiné-Bissau”, adianta Padre Domingos Binhagué.

Imbuídos do espirito cristão de ser instrumento de Jesus Cristo, os sinodais instem no apelo ao diálogo e a reconciliação nacional entre todos os guineenses independentemente da sua origem étnica e confissão religiosa.

Os órgãos da soberania são exortados a valorizarem o fundamental “a pessoa humana”, a essência da criação de Deus reconciliar o amor infinito do seu filho Jesus Cristo.

Os decisores políticos, governantes e gestores públicos são chamados na observância de uma gestão rigorosa, criteriosa e transparente dos bens comuns.

Uma das conclusões do sínodo é apelar as autoridades judiciárias “rápido” esclarecimento dos factos que tem vindo ao público sobre a gestão dos recursos económicos em geral e responsabilizar, se for o caso, os indivíduos e grupos por actos atentatórios a moral social e cristã e a vida na sociedade.

Os Cristãos Católicos da diocese de Bissau encerem, sexta-feira (17/02/2017), em Bissau, a primeira fase dos trabalhos do primeiro sínodo diocesano.

Durante cinco dias foram discutidos temas como impulsionar a vida da Igreja, o sentido do amor, do Dizimo, da pertença, a Primeira Evangelização e Nova Evangelização

Durante o sínodo diocesano, os participantes afirmaram que é necessário melhorar os conteúdos catequéticos, propor e ter coragem para proceder a rotura de aspectos negativos de valores tradicionais contrário aos valores evangélicos e sensibilizar e incutir a todos os fiéis o sentido de pertença a Igreja e de missão evangelizadora.

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos

Foto: Rádio Sol Mansi

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più