A Igreja da Guiné-Bissau acolhe nos dias 16 a 21 de Janeiro a XIV encontro dos Bispos Lusófonos sob tema “ O diálogo Inter-religioso na Construção da Paz e do Desenvolvimento nos Países Lusófonos”.

Para materializações desse evento as duas dioceses solicitaram a colaboração de todas paróquias e missões para que usem as suas criatividades para angariar os fundos a favor deste e propondo para que o ofertório deste domingo da festa Baptismo de Jesus seja destinado para apoiar a realização deste encontro que congregará 15 Bispos lusófonos entre os quais de Portugal, Angola, Moçambique, Cabo-Verde, Timor-Leste, São Tome e Príncipe, Brasil e da Guiné-Bissau.

Numa entrevista a Rádio Sol Mansi o bispo da Diocese de Bafatá Dom Pedro Carlos Zilli diz que durante o encontro terão oportunidade de debater a situação da vida das igrejas assim como do caso que ajudará a sociedade ser mais viva perante as dificuldades de mundo.

“Normal nos encontros, os temas que parecem, destacamos a formação dos seminaristas dos nossos países assim como trocamos experiências para a colaboração entre as igrejas e do aprofundamento da comunhão entre elas, da rádio, educação.

“A situação dos estudantes estrangeiros nos vários países assim como vários temas ligados a igreja mais também da sociedade a problemática da juventude que são recorrente nos nossos países”, destacou o Bispo Dom Pedro Carlos Zilli.

Em relação ao tema deste encontro “o Dialogo Inter-religioso na Construção da Paz e do Desenvolvimento nos Países Lusófonos” o bispo da Diocese de Bafatá destaca o tema que da paz que segundo ele, é uma necessidade em todo o mundo não só para a Guiné-Bissau.

“Nós sempre insistimos sobre a importância do diálogo em todos os contextos em particular o diálogo na família, na comunidade cristã e diálogo inter-religioso que consideramos de muito importante e outra questão é construção da paz. É uma necessidade em todo o mundo não só para a Guiné-Bissau”, revelou.

O ponto mais alto deste XIV encontro dos bispos lusófonos vai ser oração para a “Paz” na cidade de Bafatá ou seja diante do comité de estado num só espirito do diálogo-inter-religioso entre muçulmanos, evangélicos e católicos.

Dom Pedro Zilli diz contudo que tem vindo a organizar este tipo evento em cada no leste do país mais admite que este ano de 2020, terá um sabor de congregar os bispos lusófonos na mesma fé.

“Em Bafatá, nos fazemos todos os anos a oração ecuménica inter-religiosa pela paz. Normalmente, fizemos no início do ano, mas este ano deixamos para dia 18 de Janeiro por dois motivos até, um muito concreto questão das eleições, resultados de segunda volta das eleições e outro era exactamente para dar possibilidade aos bispos que vem para participar neste evento”, afirmou.

O bispo dom Pedro Carlos Zilli sublinhou que o povo da Guiné-Bissau em particular os cristãos, podem esperar da oração dos bispos dos países de língua oficial português e de uma mensagem de confiança perante o cenário político e social do país.

O Encontro de Bispos dos Países Lusófonos, iniciados em Maio de 1996 em Fátima Portugal, tem como objectivo fortalecer a comunhão eclesial e promover a cooperação em prol das comunidades lusófonas.

Em 2004 a igreja da Guiné-Bissau tinha sido o palco do Vº encontro dos bispos dos países lusófonos nos dias 16 a 21 de Janeiro.

Por: Marcelino Iambi

 

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più