O Conselheiro do ministro das Pescas garantiu, esta quinta-feira (13), que o período de repouso biológico será uma realidade no mês de janeiro na Guiné-Bissau.

A garantia é dada no enceramento de séries de encontro que nos últimos dias o Centro de Investigação Pesqueira Aplicada (CIPA) tem realizado com diferentes atores intervenientes no sector das pescas sobre o cumprimento do período de repouso biológico na Guiné-Bissau.

Na mesma ocasião, Hugo Nosoline Vieira, garantiu que o governo já está empenhado para reforçar o sistema de fiscalização para evitar os piratas durante o período de repouso, anunciando por outro lado que o país já despõe de um sistema de monitorização dos navios (VMS) que controla todos os navios licenciados no país.

“Sabemos que para ver um período de repouso com o impacto positivo necessitamos de ter medidas de acompanhamento muito forte e o governo está empenhada a reforçar a fiscalização e como é sabido, o sistema de fiscalização está cada vez a ser melhorado e neste momento temos um sistema de monitorização dos navios que controla todos os navios licenciados e quando se determina o período de repouso, todos estes navios serão monitorados no porto de estacionamento”, prometeu para depois admitir que todos em conjuntos vão poder controlar os navios piratas que vão querer aproveitar do período de repouso biológico.

Em relação ao período de repouso biológico, o responsável faz acreditar que “no mês de janeiro será uma realidade a implementação do período de repouso biológico na Guiné-Bissau”.

Já o director-geral do CIPA, Jeremias Francisco Intchama, explicou porque o período de repouso biológico está mais direccionada para pesca industrial, afirmando que “pesca artesanal está muito mais avançada do que a pesca industrial e agora resta só harmonizar os seus documentos e também será importante se for feita nas zonas económicas exclusivas o que vai ajudar ainda a pesca artesanal respirar, porque maioria dos barcos pescam nas zonas de transição e se fizemos a paragem biológico, significa que uma parte da pesca artesanal vai respirar muito e independentemente disso, já tínhamos o período de repouso biológico na pesca artesanal”, diz, acrescentando que “se vejamos, nas zonas sul concretamente em Buba e Cachine e Cacheu norte do país, já efectuaram a paragem biológico o que resta é harmonização de todos estes documentos de paragem biológico na zonas de pescas artesanal”.

Na semana passada o Centro de Investigação Pesqueira Aplicada (CIPA) propõe que, o mês de janeiro seja o período de repouso biológico na Guiné-Bissau. A iniciativa, se concretizada, o país terá o mesmo período de repouso biológico com o Senegal e a Guiné Conacri.

Por: Braima Sigá

Podcast

podcast

Escute quando quiser as emissões da Rádio Sol Mansi.

 

 

 

Ouvir

Escreva à RSM

email 

Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più