SINDICATOS AMEAÇAM, DENTRO DE DIAS, PARALISAR SECTOR EDUCATIVO

Os sindicatos dos professores voltam, amanhã (03 de Dezembro) a mesa das negociações com o governo depois de terminar o prazo de 30 dias de benefício de dúvida. O encontro entre as partes está a ser facilitado pelos líderes religiosos da Guiné-Bissau.

Na última negociação envolvendo os líderes religiosos, os sindicatos decidiram dar um benefício de dúvida ao governo que terá levado a suspensão da greve inicialmente marcada para 11 de Novembro.

Envolvendo 30 dias a partir do último domingo, os sindicatos alertam que o governo não conseguiu cumprir com as suas promessas assumidas perante os líderes religiosos.

Em caso de qualquer fracasso no encontro desta terça-feira pode levar a imediata paralisação no sector do ensino público do país, tendo em conta que na semana passada, durante uma entrevista à Radio Sol Mansi (RSM), os sindicatos ameaçaram paralisar o sector educativo, a partir desta semana, se o governo não cumprir com memorando de entendimento assinado há 1 mês.

Queba Seide, um dos membros da comissão da greve dos três sindicatos, explica que com o pedido dos líderes religiosos deram o benefício de dúvida de 30 dias ao governo que, no entanto, até agora não cumpriu nenhum dos pontos rubricados.

No pré-aviso da greve que teve a mediação dos chefes religiosos, os sindicatos exigem, entre outros, pontos o pagamento dos salários atrasados aos professores novos ingressos e a implementação do estatuto de carreira docente.

 

Por: Elisangila Raisa Silva dos Santos / Turé da Silva

Escreva à RSM

email Entre em contato com a Rádio Sol Mansi.

Continuar

Ajuda RSM

helpContribua para a manutenção dos nossos equipamentos e a formação da nossa equipa.

Ajuda

Subscreva notícias

© 2019 Radio Sol Mansi
Cookie Policy | Privacy Policy

Questo sito fa uso di cookie per migliorare l’esperienza di navigazione degli utenti e per raccogliere informazioni sull’utilizzo del sito stesso. Leggi di più